segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Paraná tem 21 cidades com alto índice de infestação do mosquito Aedes aegypti

A Secretaria Estadual da Saúde divulgou nesta quarta-feira (2) um relatório sobre a circulação do mosquito Aedes aegypti no Paraná. O estudo revela que, atualmente, 295 municípios registram a presença do mosquito transmissor da dengue. O que mais preocupa é que 110 cidades estão em estado de alerta de infestação e outras 21 têm alto risco de epidemia.

A importância do controle do Aedes aegypti não se limita apenas à dengue. O mosquito também é responsável pela transmissão da febre chikungunya e da zika, uma nova doença relacionada ao surto de microcefalia no país.

Para a chefe do Centro Estadual de Vigilância Ambiental, Ivana Belmonte, a situação é de alerta, pois agora existe uma tríplice ameaça. “O Aedes aegypti transmite três doenças graves, que vêm causando mortes e sérios problemas aos doentes em todo o país. Por isso, o momento é de focar na prevenção, eliminando todo tipo de criadouro do mosquito”, afirmou.

De acordo com o levantamento, é considerado de alto risco todo município que apresentar índice de infestação predial (IIP) superior a 4%. Isso significa que a cada 100 domicílios visitados pelas equipes de saúde, pelo menos quatro tiveram focos do mosquito.

Assim como em anos anteriores, as cidades em situação mais crítica estão nas regiões noroeste, norte e oeste do Estado. A chegada do verão e das altas temperaturas reforça ainda mais a necessidade de se intensificar as ações de combate ao mosquito, visto que o clima quente favorece a proliferação do inseto.

FUMACÊ – Junto às atividades de conscientização da população, para que as pessoas cuidem de suas casas e quintais, o governo estadual também desenvolve um trabalho de combate ao mosquito adulto, através das caminhonetes do fumacê. Os veículos realizam a aplicação de inseticidas que matam o Aedes aegypti em sua forma adulta (alada), reduzindo os índices de infestação.

“O Fumacê só é utilizado quando fracassou a eliminação dos criadouros. O ideal é evitar que as larvas se transformem em mosquitos e transmitam as doenças”, ressalta Ivana.

Neste mês de dezembro, a ação está acontecendo inicialmente em Foz do Iguaçu e Londrina. Ao todo, 22 veículos do Estado estão sendo utilizados no trabalho, que percorre todos os bairros das cidades e é realizado simultaneamente a mutirões de limpeza.

A coordenadora do Programa Estadual de Controle da Dengue, Themis Buchmann, ressalta que este período que antecede o verão é ideal para que as prefeituras se mobilizem e organizem ações educativas junto à população. “Combater este mosquito é um dever de todos. É preciso que o poder público e a comunidade se unam para que as ações sejam mais efetivas, principalmente agora antes das férias”, disse.

DIA D – No próximo dia 9 de dezembro, o Estado vai organizar, em parceria com os municípios, uma grande mobilização para convocar a sociedade a também entrar na luta contra o mosquito. A data foi escolhida por causa do Dia de Ação contra a Dengue, lembrada todo dia nove de cada mês.

Veja a lista dos municípios com alto índice de infestação do Aedes aegypti:

Nova Aurora
Ibiporã
Assai
Loanda
Campo Mourão
São Tomé
Nova Esperança
Nova Londrina
Iporã
Godoy Moreira
Medianeira
São Manoel do Paraná
Santa Mariana
Porecatu
Mamborê
Planaltina do Paraná
São Pedro do Paraná
Goioerê
Guaíra
Nova Aliança do Ivaí
Santa Amélia


Esta notícia foi publicada em 02/12/15 no site http://www.saude.pr.gov.br/. Todas as informações são de responsabilidade do autor.
Reações
Comentários
0 Comentários

0 comentários:

Postar um comentário